Linha Vichy Derco Kera-Solutions

Algumas semanas atrás, fui selecionada pela The Insiders para testar a nova Máscara Concentrada Antirrigidez Vichy Dercos Kera-Solutions.

Essa foi a minha primeira campanha então fiquei muito animada, principalmente porque cuidados com o cabelo são uma parte essencial da minha rotina.

Tenho cabelos coloridos há mais ou menos três anos agora, estou sempre descolorindo, usando tintas e pigmentos, e isso acaba ressecando demais os fios.

Já tentei de tudo, hidratação, produtos caros, produtos baratos, óleo de coco, e alguns destes produtos até ajudavam muito. Mas a textura do cabelo sempre continuou ressecada e sem vida.

Na primeira lavagem com o shampoo e condicionador da linha Vichy Dercos Kera-Solutions, já vi uma diferença enorme nos meus cabelos! A melhor forma que consigo explicar, é aquela sensação de ter acabado de sair do salão.

O cabelo ficou com vida, movimento, brilho e muito macio ao toque! De verdade estou apaixonada e definitivamente adicionarei os produtos à minha rotina de cuidados com os cabelos!

Eu lembro que crescendo, na minha casa minha mãe sempre comprava aqueles potes gigantes de shampoo extremamente caros e a gente só podia usar uma vez por semana e bem pouquinho!

Passei na farmácia esses dias e vi o preço, a linha Vichy Dercos Kera-Solutions acaba sendo muito mais em conta do que outros shampoos que não chegam nem mesmo perto dos benefícios que ela oferece!

Graças à tecnologia de microrrestauração com pro-keratin complex e ácido glicólico ativo inédito em tratamentos capilares, mas que já era muito utilizado no tratamento da pele, nós coloridas, podemos relaxar e nos divertir nas trocas de cores de cabelo sem nos preocupar!

E você? Já experimentou?

Meu Cabelo

Se vocês me conhecem há bastante tempo, ou até mesmo se acabaram de chegar aqui, acho que perceberam que eu vivo mudando a cor do meu cabelo.

Todas as tem um pouco de significado por trás. E hoje eu vou tentar explicar um pouco do que se passa dentro dessa minha cabecinha.

Tenho que começar pegando lá atrás e explicar que enquanto eu crescia, eu AMAVA rosa, mas com o tempo passei a me forçar a não gostar, pelo simples fato de ser considerada uma cor feminina.

E eu fazia de tudo para me afastar dessa ideia de ser “menininha”. Eu detestava ouvir “menina não pode fazer isso”, “isso não é coisa de menina”, “se comporta”, “moça não fala assim”. Como boa questionadora, fazia de tudo para me rebelar contra esses estereótipos.

Em 2018, quando pintei meu cabelo de rosa, eu estava começando a enxergar o “ser mulher” como “ser poder”, mulheres são fortes, ser menininha não significava ser menor ou deixar de fazer algo que eu gostaria.

Quando eu pintei meu cabelo de azul, no começo de 2019, eu tinha acabado de passar por dois momentos que me fizeram voltar para aquele lugar de não gostar do feminino, e do ser mulher. Eu queria me afastar disso tudo, tanto que com o cabelo azul vieram as roupas pretas e largas.

Depois disso passei por algumas cores sem muito significado, sem muita intenção, nada ficava, eu sempre voltava para o azul.

Em 2020 fui para o vermelho, aquela era uma cor que me fazia sentir poderosa novamente, com o vermelho eu era segura, foi quando meu estilo mudou, comecei a me sentir melhor comigo mesma, a ter mais confiança.

Esse ano voltei para o azul, ele é confortável, fácil, mesmo que eu amasse o vermelho, eu comecei a achar que talvez chamasse muita atenção.

Agora, decidi ir para o verde, o verde é a minha esperança; esse ano já começou com dificuldades, e situações desconfortáveis, que requerem muita, muita esperança, e isso se espelha em mim, e no meu cabelo.